17 de dezembro de 2018

O Que É Aconselhamento Psicanalitico?


Semelhante ao aconselhamento psicológico, é uma técnica que foca na queixa que o Paciente traz e necessita de intervenção imediatista, geralmente é uma crise momentânea, mas que exige respostas rápidas.

O Psicanalista foca na pessoa, observa o Paciente tentando compreender os seus sentimentos, conflitos e percepções afim de ajuda-lo a elaborar a queixa e assim encontrar a solução mais apropriada possível para a resolução do problema.

Os conflitos, que nos atormentam, na verdade não são um problema por si mesmos, mas um sinal de que duas forças contrarias e de intensidades iguais se debatem dentro de nós. Isso nos possibilita uma reflexão interna intensa para que possamos escolher o melhor caminho a ser seguido, dentre alguns que nos apresentam.

Neste ponto que se faz necessário o Aconselhamento, é uma intervenção breve e centrada num problema específico, elaborando uma situação imediata, a qual não se faz necessária permanecer centrada em Análise durante muito tempo. É semelhante a Terapia Breve, mas com menos sessões pré-estabelecidas. Nesta abordagem se lança mão do pragmatismo, ou seja, abordar com praticidade e realidade a questão a ser elaborada trazendo à tona respostas que já estão se elaborando no Paciente.

Pode ser aplicada em situações como: conflitos afetivos de relacionamento de casais, decisões sobre mudança de carreira profissional, conflitos familiares imediatos entre pais e filhos ou outros da família, adoção de crianças, etc.

Mas qual a diferença entre eu me aconselhar com um amigo ou parente?


O Aconselhamento Psicanalítico estabelece vinculo terapêutico entre o Paciente e o Psicanalista, que para ser gerado necessita de um espaço bem definido, o Set Analítico, ou seja, o Consultório do Psicanalista é onde o individuo pode se expressar com absoluta segurança seus sentimentos, emoções e possíveis decisões acerca das suas dificuldades.

É um profissional da saúde devidamente habilitado e sendo assim o individuo pode se sentir como no seu lugar ‘sagrado’ (no sentido de secreto e inviolável) para dirimir suas ideias e conflitos sem julgamentos ou decisões de terceiros que possam influenciar em suas decisões, preenchendo assim satisfatoriamente essa necessidade.

Enfim, não são conselhos simplesmente, mas sessões onde é fornecida a ajuda para o individuo compreender a si e a situação em que se encontra para ajuda-lo a encontrar a melhor decisão e que seja benéfica a si e aos envolvidos.

É acordado o número de sessões logo na primeira sessão, que podem ser desde 1h até 3hs consecutivas, uma ou duas vezes na semana, tudo é conversado e acordado entre o Terapeuta e o Paciente.