Depressão no Sexo Masculino

Segundo dados da OMS, Organização Mundial de Saúde,  a depressão aflige cerca de 10% da população mundial e esses números tendem a aumentar gravemente nos próximos anos, tornando um monstro real para a humanidade.

Na atualidade cerca de 350.000.000 de pessoas - 350 milhões - no mundo sofrem com a depressão.

Esse mal caracteriza-se por vários sintomas emocionais como tristeza extrema e sem motivação aparente - relatada como uma dor que não dói fisicamente, mas tristeza profunda e constante, perda de motivação e prazer de atividades cotidianas que antes gostava de fazer, memória defasada, "brancos" de memória esporádicos, culpabilidade alta, ostracismo - afastar-se das pessoas e desejo de ficar quieto sem contato social, apatia e há efeitos físicos significativos como mudanças no apetite, dores de cabeça e questões gastrointestinais.

Mas nos homens surgem outros sintomas além desses mais divulgados e alguns são discretos e podem não ser tão óbvios, significando depressão.

Nos Estados Unidos existem cerca de 6 milhões de homens que sofrem de depressão neste momento, mas muitos sequer reconhecem ou admitem que sofram tal patologia, seja por receio de preconceito e julgamentos, pois desejam imperar sua masculinidade, muitos creem que depressão afeta sua masculinidade e outros acreditam ser um sintoma passageiro relacionado a estresse.

Na Europa, Portugal é o país com taxa de depressão mais elevada e o segundo no mundo após os EUA, segundo pesquisa realizada pelo Hospital CUF. São cerca de  23% da população portuguesa que sofrem de problemas de saúde mental, por ano 400 mil portugueses são diagnosticados com depressão.

Em 2017 foram prescritos 20 milhões de embalagens de psicofarmacos em Portugal, sendo gastos diariamente € 600.000,00, seiscentos mil Euros, com esse tipo de medicação.

6 Sintomas da Depressão nos Homens

1 - A depressão pode ser confundida com raiva: melancolia ou tristeza excessiva são um dos maiores indicadores de depressão e podem ser prevalecentes entre os homens, irritação, frustração, o aumento de emoções negativas, pessimismo constante são sintomas importantes relativos a depressão.
2 - Cansaço excessivo: desejo de estender o levantar pela manhã ou até mesmo de ficar de vez na cama, permanecer o dia inteiro, fechado no quarto e isolado, é um dos sintomas mais comuns.
3 - Silêncio: os homens tendem a ficar mais calados e são mais relutantes em procurar ajuda profissional e tem dificuldade em admitir que estão sofrendo depressão. Ao mesmo tempo apresentam uma maior tendência para minimizarem os sintomas.

Esse sintoma se deve a cultura do machismo, onde o comportamento masculino deve ser de forte e inabalável até, criando uma sensação que esse mal é destinado somente aos fracos e temem por serem julgados em não serem homens o suficiente. É um estigma da saúde mental muitas vezes impede eles de procurar ajuda e receberem tratamento.

4 - Diagnóstico médico: há uma probabilidade do homem não receber um diagnostico de um médico, do sexo masculino. Além de ser cultural e intrínseco é um indicativo de viés de gênero quando se trata de problemas de saúde mental. Os médicos são mais propensos a diagnosticar depressão entre mulheres do que entre homens, mesmo quando os sintomas são semelhantes.

5- Diminuição do desejo sexual: há diminuição do desejo sexual ou mesmo a sua ausência, isto ocorre porque o cérebro e o físico estão conectados profundamente, a depressão altera libido e causa disfunção erétil.

6 - Os homens são mais propensos a cometer suicídio: problemas de saúde mental como a depressão são um fator importante no suicídio, sobretudo entre a população masculina, isto porque o fato de serem mais resistentes a procurarem ajuda, tem uma menor probabilidade de iniciarem qualquer tipo de tratamento, seja terapia ou acompanhamento psiquiátrico.

Um relatório de 2015 indica que os homens são mais propensos a ficar em silêncio quando pensam em se automutilar ou se matar. Homens de meia-idade também têm apresentado o maior crescimento nas taxas de suicídio nos últimos 15 anos.
Os homens têm mais dificuldade em reconhecer, descrever ou admitir doenças mentais do que as mulheres”, segundo John Greden, diretor-executivo do Centro de Depressão da Universidade de Michigan, em entrevista prévia ao The Huffington Post. “Os homens têm de reconhecer que isso não é algo que se vai curar de um momento para o outro e que certamente não é sinal de fraqueza".
Você, Homem, procure ajuda profissional. 

Ética, sigilo e discrição são inerentes ao trabalho do Terapeuta.

Informações sobre Terapias com Hipnose e Psicanálise WhatsApp 11 985 222 560, com Marcelo Magoga Terapeuta.